+244 938 695 730 | +244 915 254 704 | Brasil: +55 21 3172-2828 reservas@atbt.com.br

A pandemia foi o golpe final para a companhia aérea italiana, a Alitalia, que já vinha sofrendo com problemas econômicos há tempos e agora deixará oficialmente de existir a partir do dia 14 de outubro, dando espaço para sua sucessora: a Italia Trasporto Aereo (ITA).

A ITA

“ITA può decollare”, ou “A ITA pode decolar”, foram as palavras usadas por Pierluigi di Palma, o presidente da Enac (Agência Nacional de Aviação Civil Italiana), em documento que da o aval de operação à nova companhia.

A ITA entrará oficialmente em operação no dia 15 de outubro, utilizando os aviões que atualmente voam pela Alitalia, porém com várias restrições operacionais impostas pelo governo Italiano. Primeiro, a empresa foi obrigada a cortar inúmeros destinos, especialmente internacionais.

No começo, a frota da empresa contará com 52 aeronaves e crescerá para 78 em 2022. De acordo com exigências do bloco europeu, as aeronaves, mesmo que ostentando as cores da Alitalia, deverão ser equipadas com um adesivo que indique que é a ITA que opera as mesmas.

Em relação a destinos, a nova empresa operará, inicialmente, para um total de 61, incluindo voos domésticos, intra-europeus, e 7 destinos intercontinentais. O foco da empresa será mantido nos Estados Unidos (Nova York, Miami e Washington D.C.) e no Japão, esperado atender mais destinos fora da Europa (incluindo São Paulo) a partir de 2022.

O drama do MilleMiglia

Apesar do surgimento da ITA oferecer um cenário optimista para o mercado de aviação italiano, a realidade não é a mesma quando o assunto é milhagem. O Parlamento Europeu não aprovou a continuação do programa de milhagem da Alitalia, o MilleMiglia, anunciando inclusive que a ITA não honrará as 45 bilhões de milhas na possessão de 6,1 milhões de membros do clube. Na verdade, o programa será vendido, por meio de leilão, a uma empresa terceira que será responsável por administrar as contas dos clientes. Essa é uma péssima notícia para aqueles clientes que contam com o programa, que é aquele com a maior presença no país e agora conta com um futuro incerto.

Cancelamentos e Reembolsos

Mesmo que a Alitalia ainda esteja comercializando voos após o 15 de outubro, é esperado que a ITA, assim que possível, entre com um website simples para começar a vender bilhetes próprios. Com isso, a Alitalia deve começar a cancelar bilhetes emitidos para voos até o dia 31 de maio de 2022, e fica sob a responsabilidade do governo acomodar os passageiros em outros voos (provavelmente da ITA) ou fazer um reembolso. De acordo com o Corriere della Sera, aproximadamente 255 mil pessoas devem ser reembolsadas pelo governo, por meio de um pacote de ajuda de 100 milhões de Euros.

FONTE: PORTAL PASSAGEIRO DE PRIMEIRA

Share This