O Governo dos Estados Unidos anunciou um aumento no valor da taxa para emitir a autorização de viagem ESTA (Electronic System for Travel Authorization), documento que substitui o visto de turismo americano para portadores de certos passaportes – o que não inclui o brasileiro, vale pontuar.

Desde o dia 26 de maio, a emissão do documento passou de 14 dólares para 21 dólares, devido a um aumento na taxa ESTA travel promotion fee. As pessoas que já possuem um ESTA vigente não precisarão emitir um novo.

O que é o ESTA

O ESTA é um sistema automatizado que determina a elegibilidade dos visitantes para viajar para os Estados Unidos sob o Programa de Isenção de Visto (VWP) por via aérea, terrestre ou marítima. O VWP permite que cidadãos qualificados de 40 países viajem para os Estados Unidos a negócios ou turismo para estadias de até 90 dias sem visto se tiverem um ESTA aprovado.

De acordo com o site oficial do governo, o tempo médio para se completar o pedido do documento é de 23 minutos.

Quem pode solicitar a emissão de um ESTA

Qualquer cidadão que possuir um dos seguintes passaportes poderá solicitar um ESTA para ingressar nos Estados Unidos:

Alemanha, Andorra, Austrália, Áustria, Bélgica, Brunei, Chile, Coreia do Sul, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Japão, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Mônaco, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Checa, São Marinho, Singapura, Suécia, Suíça e Taiwan.

O único país na América do Sul elegível ao ESTA (ou seja, isento do visto norte-americano) é o Chile. Lembrando que brasileiros que possuem dupla nacionalidade podem solicitar o ESTA e ingressar nos Estados Unidos com o documento.

Para saber mais, acesse essa página.

 

Foto: Canva

Share This