Conta global: vale a pena usar para viajar?

19 jan 2024 | Notícias

Se você viaja para o exterior, precisa providenciar um cartão global. Os cartões de débito de contas globais são atualmente o meio de pagamento mais vantajoso para seus gastos internacionais.

Todo cartão global oferece dólar mais barato do que nas casas de câmbio, e com IOF igual ao dinheiro vivo – 1,1% (contra 4,38% dos cartões de crédito convencionais).

Para quem viajava com dinheiro vivo, é o fim da doleira e da fila casa de câmbio! O melhor: para abrir sua conta não precisa nem sair de casa: é só baixar um aplicativo!

Você com certeza já ouviu falar de pelo menos um cartão global: Wise, Nomad, Revolut, C6 Global, BS2 Go, Inter Global…

Recentemente, os grandes bancos tradicionais também entraram neste mercado, com os cartões Avenue (associado ao Itaú), BB Américas (Banco do Brasil), MyAccount (Bradesco) e Select Global (Santander).

Conheça agora as vantagens e as pegadinhas de usar um cartão global em 2024.

 

CARTÃO GLOBAL: QUE NEGÓCIO É ESSE?

Antigamente, para escapar do dólar caro dos bancos brasileiros e do IOF altíssimo das compras internacionais, você precisava abrir uma conta no exterior. Mas isso era coisa de rico.

O surgimento das fintechs (financeiras digitais que competem com os bancos tradicionais) democratizou o acesso a uma conta internacional – agora chamada de ‘conta global’.

Na maioria dos casos, não há exigência de depósito mínimo, nem tarifas de uso.

Numa conta global você pode manter depósitos em dólar (ou outras moedas estrangeiras disponíveis) de maneira totalmente legal. E recebe um cartão de débito Visa ou Mastercard para movimentar os seus fundos no exterior (versões física e virtual).

O cartão de débito de conta global chegou para substituir, com vantagem, o dinheiro vivo e o cartão de crédito nas viagens ao exterior e nas compras em sites estrangeiros.

 

VANTAGENS DO CARTÃO GLOBAL:

  • IOF igual ao do dinheiro vivo (1,1%), bem mais barato do que os dos cartões de crédito ou débito brasileiros (4,38% em 2024)
  • Dólar mais barato do que nas casas de câmbio e BEM mais barato do que o dólar dos cartões de crédito e de débito brasileiros
  • Conversão justa para outras moedas – mais vantajosa do que levar dólar cash e trocar em casa de câmbio no exterior
  • Cartões virtuais para usar na internet – disponíveis assim que o seu cadastro é aprovado. Você não precisa esperar o cartão físico para fazer gastos internacionais
  • Saques em moeda local em caixas automáticos
  • Possibilidade de adicionar moeda a qualquer momento, fazendo um PIX

 

DESDE QUANDO EXISTEM ESSES CARTÕES?

A novidade chegou ao Brasil em meados de 2021, em plena pandemia, quando a maioria dos países ainda estava fechada para viajantes brasileiros.

 

POR QUE O IOF É MAIS BARATO QUE O DOS CARTÕES DE CRÉDITO?

Ao enviar dinheiro para sua conta global, tecnicamente você está fazendo uma “transferência internacional para conta da mesma titularidade”. O IOF para esta operação é de 1,1% (bem menor que os 4,38% dos cartões).

Depois de enviar dinheiro à conta, você não paga mais IOF brasileiro em nenhuma transação que você faça com o cartão global.

 

POR QUE OS CARTÕES GLOBAIS VENDEM MOEDA ESTRANGEIRA MAIS BARATO?

O ambiente digital aumenta a concorrência e barateia custos.

As fintechs das contas globais conseguem trabalhar com spread entre 1,5% e 2% ao vender moedas fortes como dólar e euro. Veja você: os grandes bancos brasileiros embutem spread de 4% a 6% na cotação do dólar de seus cartões de crédito.

Na comparação com as casas de câmbio, os cartões globais também levam uma pequena vantagem na venda do dólar (você pode conferir comparando a cotação do seu cartão com a menor cotação na sua cidade mostrada pelo site Melhor Câmbio).

Já nas moedas fracas (peso chileno, peso colombiano, sol peruano, peso mexicano), os cartões globais ganham de lavada das casas de câmbio, que cobram spreads de 10% ou mais. Sempre vai ser muitíssimo mais barato usar cartão global nos países que usam essas moedas, mesmo que o cartão esteja carregado em dólar.

O QUE O CARTÃO GLOBAL MUDA NAS SUAS VIAGENS?

  • Faça compras e reservas de ingressos e passeios com antecedência e economia, sem medo das taxas do cartão de crédito
  • Diga adeus ao maço de dinheiro escondido na roupa
  • Não perca mais tempo para trocar dinheiro. O cartão global é uma casa de câmbio de bolso, que funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, oferecendo a melhor cotação.
  • Compre passagens de trem com cartão global
  • Pague suas despesas do jeito que faz no Brasil. Aqui até o mate na praia é pago no débito. Não é bem mais prático? Pois no exterior também pode ser assim! Ok, talvez você precise de algum dinheiro vivo para usar em estabelecimentos que não aceitam cartão, mas serão uma minoria. De todo modo, você vai poder levar muito menos dinheiro vivo – ou deixar para fazer um saque em moeda local no caixa automático.
  • Economize até 10% na sua viagem! Com IOF e spread bem mais baixos, o cartão global vai fazer seu dinheiro render muito mais no exterior. A economia de até 10% compensa quaisquer outras vantagens dos cartões de crédito, como acúmulo de milhas.
  • Volte da viagem sem contas para pagar! O cartão de débito vai deixar a sua viagem bem mais controlada, sem aquela sensação de falência na volta. E se precisar de fundos extras, o cartão de crédito vai continuar à mão para extravagâncias.

 

CARTÃO GLOBAL: AS PEGADINHAS

O cartão global tem algumas peculiaridades que você precisa conhecer antes de começar a usar. E é bom ter em mente que em algumas situações você vai ter que lançar mão de um plano B.

  • Aluguel de carro: as locadoras exigem um cartão de crédito convencional como garantia – e também para fazer um bloqueio prévio maior do que o valor da locação. Mas você pode negociar para que o seu cartão de crédito convencional seja dado como garantia e o pagamento da locação seja feito com o cartão global.
  • Limites por tipo de transação (Por uma questão de segurança, alguns cartões globais vêm ‘de fábrica’ com limites muito baixos por operação. Entre nas configurações do aplicativo para aumentar esses limites. Normalmente você pode mexer no limite diário, semanal e mensal em compras por aproximação, compras por inserção com senha e compras online). Faça isso antes de viajar. Se você precisar alterar esses limites durante a viagem, o cartão pode levar de 12 a 24 horas para liberar o novo limite.
  • Se não passar no débito, tente no crédito. Algumas maquininhas identificam os cartões globais como aqueles antigos pré-pagos (tipo travel money), que passavam no crédito. Por isso, se a compra não for aprovada no débito, peça para passar de novo no crédito. Pergunte também se o estabelecimento não trabalha com outra maquininha – eventualmente pode haver incompatibilidade entre o seu cartão e alguma das inúmeras maquininhas em operação nos países.
  • Da mesma forma, se não conseguir sacar no débito (“withdrawal”, “checking account”), tente no crédito. Como já explicamos no tópico anterior, alguns sistemas identificam os cartões de débito como os antigos pré-pagos, que funcionavam na função crédito. Se ainda assim não conseguir, procure um caixa de algum outro banco.
  • Não vale a pena usar cartão global quando há bloqueio de caução, e isso não acontece apenas na locação de carros. Há outras situações em que um naco do seu saldo é bloqueado temporariamente como garantia. Alguns hoteis (principalmente de redes americanas) fazem um bloqueio extra para cobrir ‘incidentals’ – eventuais gastos extras durante a sua estada. O que não for gasto acaba sendo estornado para a sua conta, mas o processamento pode levar até 15 dias. Nesses hoteis o melhor é pagar as diárias no check-in com o cartão global e dar um cartão de crédito convencional para o bloqueio dos ‘incidentals’.
  • Atenção: é preciso incluir as contas globais na declaração do Imposto de Renda. É perfeitamente legal ter contas globais, e você não vai pagar nada de imposto de renda sobre o saldo depositado. Mas vai precisar incluir essas contas na sua declaração de I.R. Você vai conseguir baixar os informes de rendimento de cada conta no seu aplicativo.
  • As contas globais não estão protegidas no Brasil, ou seja, você não estará coberto pelo Fundo Garantidor de Créditos do sistema financeiro brasileiro. Isso porque os bancos e fintechs globais que atuam no Brasil têm sedes registradas nos Estados Unidos, nas Ilhas Cayman e no Reino Unido. Todos oferecem algum tipo de garantia, mas estarão longe do alcance da justiça brasileira. De todo modo, a ideia aqui é poupar para viajar e não transferir sua vida bancária do Brasil, certo?

 

QUAL É O MELHOR MIX DE MEIOS DE PAGAMENTO NO EXTERIOR?

Os cartões globais são ótimos, mas nunca dependa apenas de um meio de pagamento no exterior – seja qual for. O mais seguro é diversificar. Nossa recomendação:

  • Priorize os gastos num cartão global
  • Leve um pouco de dinheiro vivo (o equivalente a 200-300 dólares) ou então faça um saque em moeda local no dia da chegada
  • Leve um cartão de crédito convencional (de preferência, de bandeira diferente do cartão global) para usar em situações com caução (locação de carro, ‘incidentals’ de hoteis, postos de gasolina self-service) e também para usar como plano B
  • Considere ter um segundo cartão global, de bandeira diferente do principal, para aumentar suas chances de sucesso com qualquer maquininha ou caixa automático

 

COMO ABRIR A CONTA E USAR O CARTÃO GLOBAL?

Os cartões de débito de contas globais têm um funcionamento muito parecido com o dos antigos cartões pré-pagos, tipo travel money. A diferença é que você vai ter que abrir uma conta, que precisará ser declarada no seu imposto de renda.

Veja o passo a passo:

  1. Baixe o aplicativo na loja do seu celular. Depois da aprovação, você vai conseguir acessar sua conta global também no computador. As configurações mais importantes, porém, só estão disponíveis no aplicativo.
  2. Abra sua conta. O processo de abertura de conta tem muito pouca burocracia, como já acontece com os bancos digitais brasileiros. Na maioria das vezes você vai precisar fazer upload de um documento de identidade, um comprovante de endereço e também tirar uma foto logado no aplicativo. Caso você abra uma conta global num banco brasileiro do qual você já seja cliente, o processo pode ser ainda mais simples.
  3. A conta foi aprovada? Já pode usar o cartão virtual, não precisa esperar chegar o cartão físico. Todo cartão global oferece cartões virtuais, permanentes ou temporários, para usar na internet. Adicionando dinheiro à sua conta, você já pode sair gastando online. Você também pode associar o seu cartão virtual à carteira digital do celular (Google Pay ou Apple Pay).
  4. Adicione dinheiro por PIX, transferindo o valor desejado da sua conta do banco brasileiro para a conta global.
  5. Converta o seu depósito para dólar (ou outra moeda disponível). Não adianta manter reais na sua conta. O cartão global só funciona no exterior com moeda estrangeira. Se estiver carregado apenas com reais, só funcionará no Brasil. Alguns cartões permitem adicionar moeda estrangeira diretamente, pulando a etapa de carregar a conta com reais. Você define quantos dólares (ou outra moeda disponível) quer adicionar, e o aplicativo informa o valor em reais para você transferir por PIX.
  6. Faça gastos sem se preocupar com IOF. O imposto de 1,1% é pago apenas uma vez, no momento em que o cartão converte os seus reais em moeda estrangeira. Depois disso, todos os pagamentos de despesas e novas conversões para outras moedas estarão isentos de IOF brasileiro.
  7. Pague despesas em qualquer moeda. O cartão global não precisa estar carregado com a moeda local para funcionar num determinado país. Carregado com dólar, ele serve para pagar despesas em todas as moedas. Ao converter para uma terceira moeda, o cartão pode cobrar um pequeno spread, uma comissão de câmbio. Mas não se preocupe: o spread do cartão é menor do que a comissão embutida quando você troca dólar vivo por moeda local numa casa de câmbio.
  8. Faça saques em moeda local em caixas automáticos. Alguns cartões oferecem isenção de tarifa para um ou dois saques por mês. Mesmo assim você acaba pagando a tarifa de uso do caixa automático. Por essa razão, faça saques sempre pelo valor máximo oferecido pelo caixa automático, para diluir essa tarifa.
  9. Adicione dinheiro quando quiser. Precisou de mais dinheiro durante a viagem? Adicione por PIX e estará disponível em instantes.
  10. Use o cartão global para fazer poupança de viagem. O jeito mais inteligente de juntar dinheiro para viajar é ir comprando aos poucos, aproveitando aqueles momentos em que o câmbio fica mais favorável.

Sempre que quiser, você pode reconverter seu saldo em dólares para reais e usar no Brasil – ou transferir para sua conta bancária brasileira (mas você sempre vai perder um pouquinho na reconversão.)

 

Fonte: Viaje na Viagem (adaptado)
Foto: canva

Últimas notícias

Israel implementa visto eletrônico para brasileiros

Israel implementa visto eletrônico para brasileiros

Brasileiros precisarão preencher uma autorização eletrônica de viagem antes de entrar em Israel. A medida entrará em vigor a partir de agosto de 2024. O Ministério de Turismo de Israel anunciou a implementação do novo sistema de Autorização Eletrônica de Viagem...

ler mais
Voo cancelado: o que fazer e quais os seus direitos

Voo cancelado: o que fazer e quais os seus direitos

É uma experiência que está entre os piores imprevistos de uma viagem: quando menos se espera, a companhia aérea avisa que o voo foi cancelado. Ou, em uma situação também inconveniente, o voo até sai, mas atrasa tanto que você acaba perdendo a conexão. Um cancelamento...

ler mais
Share This