Viagens Instagramáveis: o que é isso?

24 ago 2023 | Blog

Por que você viaja? Só porque está na moda? Só para tirar fotos instagramáveis? O que faz você escolher um destino e não o outro? Esses dias li uma pesquisa que mostrava que o principal motivo dos brasileiros viajarem era para tirar fotos. Aliado a isso, outra pesquisa mostrava que a maior preocupação na hora de eleger um destino era “o quão instagramável ele é”.

Logo depois de ler esses artigos eu senti a necessidade de escrever um post sobre isso aqui no blog. Já aviso logo que vai ser um post bem diferente dos meus usuais que são voltados para dicas e informações de planejamento de viagem. Mas simplesmente senti que eu tinha que botar pra fora de algum jeito.

Instagramável? Como assim?

Pois é, eu também não conhecia esse termo até pouco tempo atrás. “Instagramável” (ou “Instagrammable” em inglês) se refere ao quanto aquele lugar é fotogênico. Mas vai um pouco além disso… se refere ao quanto o lugar é fotogênico para ser postado nas redes sociais.

Não tem absolutamente nada errado em gostar de lugares bonitos ou gostar de tirar fotos, se preocupar com o fundo, o ângulo ou a roupa do passeio. Eu, inclusive, sou esse tipo de pessoa – tirando a parte da roupa – que viaja olhando para tudo com um “olhar fotográfico” buscando sempre o melhor ângulo. Acredito que fotografias e vídeos sejam um jeito lindo e único de guardar memórias.

Mas como a estética do lugar virou mais importante que a experiência?

Essa é a reflexão que eu quero deixar para vocês aqui hoje. O que você busca quando viaja? Fotos pra postar? Vivência pra contar pros amigos? Conhecer pessoas? Vou citar aqui uma frase mega-ultra-super batida, mas que ainda tem muito significado pra mim.

“Travel is the only thing you buy that makes you richer”

Traduzindo… Viagem é a única coisa que você compra que te faz mais rico.

Isso é a maior absoluta verdade! Viajar é o melhor jeito de aprender – sobre o mundo, sobre culturas, história, arquitetura, geografia, e sobre você mesmo. Quando você passa por um super perrengue em um país estrangeiro e no final dá tudo certo, você aprende que SABE se virar sozinha. Quando você faz amigos sem nem ser bom no inglês, você aprende que CONSEGUE se comunicar. Quando você acerta o caminho sem ter ideia de como se olha um mapa, você aprende que PODE fazer qualquer coisa!

Mas isso tudo só acontece se você se expor. Se você se deixar aberto – de peito, braços e mente. Tem muita gente por aí que paga um dinheirão, faz não sei quantas viagens ao ano e tudo o que traz na bagagem são fotos nos pontos turísticos e mais um check no checklist de países a visitar.

Não sejam essas pessoas. Tenham curiosidade, saiam do óbvio, construam memórias.

É por essas e outras que aqui no Cachos eu tento sempre trazer, junto com as dicas dos lugares, alguma contextualização histórica ou curiosidade dos lugares. Se vocês buscarem a história ou alguma informação por trás dos lugares que visitam, esse lugar vai parecer muito mais interessante e vai ficar marcado pra você.

Por exemplo, recentemente fiz o post sobre os cenotes no México. Se você vai pra lá e visita os cenotes sem nenhuma explicação ou informação, é claro que vai achar lindo e tudo mais. Mas se você sabe como os cenotes se formam, que aquela água doce vem do lençol freático, que os cenotes eram considerados sagrados pelos Maias e que já estiveram envolvidos inclusive em rituais de sacrifício, então você vai olhar para esses mesmos cenotes com outros olhos. Eles vão se tornar mais interessantes e, consequentemente, mais marcantes.

Muito bonito, mas como eu faço isso?

Se você está perdido, acha que não se interessa por história, cultura, nem nada disso, vou dar uma dica de por onde começar…

Cada pessoa é diferente e tem os seus gostos e interesses próprios, certo? Então basta saber do que você gosta. O que mais te faz brilhar os olhos? Busque um destino que tenha a ver com a sua paixão. Dá pra encontrar lugares pra absolutamente todo tipo de gosto e experiência.

Se você é viciado em futebol, vá assistir um jogo do Real Madrid enquanto estiver na Espanha ou visitar o estádio do PSG. Se você é apaixonado por cerveja, vá fazer a rota das cervejas belgas nos monastérios do interior da Bélgica. Se você gosta de adrenalina, vá saltar de Bungee Jump na Nova Zelândia.

Não precisa fazer o que tá todo mundo fazendo ou ir a um lugar só porque ele é “instagramável”. Vá pra um lugar pelo que ele pode te acrescentar – e tenho certeza que você vai voltar uma pessoa diferente. Uma pessoa melhor.

 

Autor: Fê Spolaor
Foto: Canva

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Israel implementa visto eletrônico para brasileiros

Israel implementa visto eletrônico para brasileiros

Brasileiros precisarão preencher uma autorização eletrônica de viagem antes de entrar em Israel. A medida entrará em vigor a partir de agosto de 2024. O Ministério de Turismo de Israel anunciou a implementação do novo sistema de Autorização Eletrônica de Viagem...

ler mais
Voo cancelado: o que fazer e quais os seus direitos

Voo cancelado: o que fazer e quais os seus direitos

É uma experiência que está entre os piores imprevistos de uma viagem: quando menos se espera, a companhia aérea avisa que o voo foi cancelado. Ou, em uma situação também inconveniente, o voo até sai, mas atrasa tanto que você acaba perdendo a conexão. Um cancelamento...

ler mais
Share This